Arquivo da categoria: potiron

p.leminski

inutensílio (f r a g m e n t o s)

a burguesia criou um universo onde todo gesto tem que ser útil
tudo tem que ter um para quê
e o princípio da utilidade corrompe todos os setores da vida
nos fazendo crer que a própria vida tem que dar lucro

a poesia é o princípio do prazer no uso da linguagem
e os poderes deste mundo não suportam o prazer
a sociedade industrial
centrada no trabalho servo-mecânico
dos usa à urss
compra, por salário
o potencial erótico das pessoas
em troca de performances produtivas
numericamente calculáveis

quem quer que a poesia sirva para alguma coisa
não ama a poesia
ama outra coisa

os que exigem conteúdos querem que a poesia produza um lucro ideológico

Resultado de imagem para paulo leminski caricatura

* a citação acima, (des)fragmentada pelo curvilíngua, é do livro ensaios e anseios crípticos, lido e relido esta semana. para ler a íntegra, paulo leminski. in/vista. livro é liber/dade. livro, em latim, é liber.

etc.

o curvilíngua subscreve:
a poesia não serve
a ninguém
é in
d e p e n
dente