Arquivo da categoria: nexum

afinal

por quem os assas-
sinos
obram?

Resultado de imagem para guerra da síria

* há perguntas com cem respostas, mas nenhuma que convença. ou que convenha. 

** ao leitor que ignora o trocado trocadilho, direciono. o texto dialoga com por quem os sinos dobram, do escritor ernest hemingway, de 1940. o título do livro é referência a um poema do pastor e escritor inglês john donne que se encontra na obra poems on several occasions, e que em português foi publicada com o nome meditações, e invoca o absurdo da guerra, sobretudo a guerra civil, travada entre irmãos: quando morre um homem, morremos todos, pois somos parte da humanidade.

oxidante retorno

lembra-te que és ferro
e aos berros tornarás

rusted gate - (by rosalie dale) | Rusty beauty

* o curvilíngua aprendeu que o ferro é um elemento natural encontrado na forma de óxido de ferro. mas o ser, o humano, inventou um modo de usiná-lo, o ferro, e deixá-lo apenas ferro, sem óxido. no entanto, em contato com a natureza, isto é, o oxigênio e a umidade, ele, o ferro, torna a ser óxido: a célebre ferrugem. a corrosão do erro, pois, é um processo inevitável. cento e oitenta bilhões de anos depois, como insistem os evolucionistas nesse cálculo renal, ainda estamos a nos desgastar com fenômenos perfeitamente naturais! depois dessa, encerro.

variação: lembra-te que és ferro, e ao óxido tornarás.

 

* fonte da imagem: pinterest

a poética cordelista numa equação existencial

Se eu conversasse com Deus
Iria lhe perguntar:
Por que é que sofremos tanto
Quando viemos pra cá?
Que dívida é essa
Que a gente tem que morrer pra pagar?

Perguntaria também
Como é que ele é feito
Que não dorme, que não come
E assim vive satisfeito.
Por que foi que ele não fez
A gente do mesmo jeito?

Por que existem uns felizes
E outros que sofrem tanto?
Nascemos do mesmo jeito,
Moramos no mesmo canto.

Quem foi temperar o choro
E acabou salgando o pranto?

Resultado de imagem para leandro gomes de barros e a existência de deus

* leandro gomes de barros, poeta popular (1865-1918).

 

a seguir, leandro é evocado na voz tonitruante de suassuna:

Será que dá liga?

LIGA, como nos diz o Houaiss, é o ato ou efeito de ligar (claro). Mas também é a aliança ou união entre pessoas para a consecução de um fim comum. E mais, LIGA é a união atômica de vários metais com ou sem a inclusão de elementos não metálicos (como o carbono e o fósforo, p. ex.) com propriedades diferentes dos seus constituintes. E a mais bonita das definições do dicionarista: Liga, mesmo (a ênfase é minha), é o amigo inseparável, o camarada, o companheiro, o que reparte o pão (minha ênfase).

Em Coração de estudante, meu conterrâneo mineiro, o Milton, diz que é preciso cuidar do mundo, tomar conta da amizade. Contatar o outro. E a pergunta é: como tratar o outro? Do modo como gostaríamos de ser (bem) tratados. Essa é a resposta clássica, permeada inclusive nas principais regiões e religiões do planeta.

Ter um Amigo é usar com extremo cuidado esse ter, pois denota posse, usufruto. Ter é conservar, mas também pode significar tomar o controle de, vereda pedregosa essa, a do controlar. O amigo é para se ter no coração – outra vez Milton – e ligá-lo ao nosso ser a fim de somar, incluir, partilhar. Amigo, aditivo, amigo ativo, nunca altivo.

Ligue o Amigo,
Ligue ao Amigo,
Vai, Liga!

Resultado de imagem para amizade fotos preto e branco